Museu Municipal


Histórico e Escolha do Nome do Museu

HUGO ADOLFO KOCOURECK


MUSEU HUGO ADOLFO KOCOURECK

Hugo Adolfo Kocoureck nasceu na Linha Uma, hoje Povoado Santana, município de Ijuí em 02 de janeiro de 1917. Era filho de Johann Kocourek e de Clementina Kocourek. Estudou até a 3ª série do antigo primário.

Hugo tinha seis irmãos dos quais quatro nasceram na Áustria e dois no Brasil. São eles: Johann Hugo, Hilda, Franz Hugo, Julius Hugo, Carlos Hugo e Anna Francisca Romana, esta residente na Argentina com idade de 98 anos. Os outros todos são falecidos.

A profissão da família Kocourek era funilaria e todos os homens atuaram nessa área.

O Seu Hugo trabalhou nessa profissão, tendo herdado a funilaria do seu pai, que faleceu em 1941. Em 1978 aposentou-se, mas continuou fazendo alguns trabalhos com inoxidável e tachos de cobre.

Era casado com Lili Kocoureck de nacionalidade romena. Dona Lili veio para o Brasil com seis anos de idade e conheceu Seu Hugo porque ambos vieram residir na Linha 19, Ajuricaba. Casaram-se em 28 de junho de 1947. Tiveram quatro filhos, sendo que uma Renate Íria, já é falecida. Os outros são Hugo João, funileiro e encanador, nascido em 1950. Siegrid Elizabeth Coracini, dona de casa e agricultora, nascida em 1948 e Bruno Paulo Hugo professor, nasceu em 1953. Destes Siegrid reside em Doutor Bozano e os outros dois em Ajuricaba.

Seu Hugo era uma pessoa muito especial. Sua paixão eram as fotografias e registrava tudo o que achava interessante. Em seus registros fotográficos encontramos várias pessoas que muitas vezes não são lembradas e outras que se tornaram importantes por marcarem época com autoridades, tendo guardado verdadeiras relíquias históricas, guardava jornais que noticiavam fatos importantes.

Apaixonado por Prestes chegou a participar, como entrevistado, de um documentário sobre a vida dessa personalidade. Por ser um grande conhecedor da história de Ajuricaba gostava muito de ser procurado por alunos e professores para trabalhos escolares.

Sua vida foi marcada por alguns fatos bem pitorescos. Um deles, aos seis anos foi com seus pais passear na Áustria, numa viagem que deveriam durar alguns meses, mas como o dólar desvalorizou muito, tiveram que permanecer lá por dois anos, até juntar dinheiro para voltarem. Nesse tempo iniciou seus estudos em uma escola daquele país, voltando ao Brasil continuaram seus estudos numa escola alemã que funcionava junto a Igreja Evangélica.

Durante quase toda a sua vida adulta participou de diretorias de entidades do município, como: Clube, escolas e igreja, tendo sido um grande colaborador e incentivador no processo de criação do município. Gostava muito de política, embora nunca tenha sido candidato a um cargo político.

Durante o período referente à Segunda Guerra Mundial, com a falta de gasolina, inventou, com o auxílio de um mecânico, um aparelho de gasogênio, que era adaptado aos carros para substituir o combustível.

Uma forma que a maioria lembra dele é vê-lo sentado em frente à sua residência, acompanhado de seu rádio, de jornal e tentando conversar com todos os que passavam na rua. Gostava também de entrevistar os candidatos a cargos eletivos, gravando essas conversas, com o objetivo de cobrar as promessas posteriormente.



Enviar por e-mail Imprimir