26/12/2018 14h54

Aedes aegypti: um mal a ser combatido

Campanha



  O mosquito Aedes aegypti é transmissor de 4 doenças, Dengue, Zika vírus, Chikungunya e Febre Amarela. Essas doenças representam uma ameaça à saúde pública de todo o país, pois como são transmitidas pela picada do mosquito possuem alto índice de dispersão, podendo desencadear um processo de epidemia rapidamente.

  O município de Ajuricaba vem promovendo nas últimas semanas um mutirão de limpeza em toda a cidade. Este mutirão tem por objetivo eliminar os possíveis criadouros de mosquito que são encontrados nas residências e materiais afins. Uma equipe da Secretaria de Obras juntamente com a equipe de Vigilância em Saúde vem fazendo o recolhimento e separação dos materiais deixados na frente das residências. Segundo o Coordenador dos Serviços Urbanos de Ajuricaba, a dificuldade de se realizar um mutirão de limpeza na cidade é devido ao acondicionamento incorreto dos descartes nas vias públicas, sendo que os lixos se encontram misturados a galhos e entulhos dificultando o recolhimento.

  A equipe se deparou com situações em que teve que realizar a separação e acondicionamento dos lixos para que pudesse ser recolhido. Outra situação muito comum é o descarte de colchoes e sofás por vezes inteiros, sendo que estes PRECISAM SER DESMONTADOS para o devido acondicionamento em sacos e destino correto. Galhos e matérias orgânicas NÃO DEVEM ser misturados a outros materiais de descarte. Vasos sanitários e outros materiais a base de gesso ou cerâmica devem ser QUEBRADOS e ensacados para destinação final. NÃO SERÁ RECOLHIDO: frascos de veneno, galões de óleo diesel, sofás inteiros, colchões inteiros, balcões inteiros, roupeiros inteiros, bicicletas e etc. Materiais a base de metal será encaminhado o recolhimento por terceiros que utilizam este material como matéria prima.

A Fiscal Sanitária do município, Margarete Iseppi, reforça que os proprietários dos terrenos baldios que não realizarem a limpeza e manutenção periódicas dos imóveis serão autuados. De acordo com a Lei Municipal n°179, de 30 de dezembro de 1975, Capitulo II, artigo 32- os proprietários ou inquilinos são obrigados a conservar em perfeito estado de assejo os seus quintais, pátios, prédio e terrenos; Paragrafo único- não é permitida e existência de terrenos cobertos de mato, pantanosos ou servindo de depósitos de lixo dentro dos limites da cidade, vilas e povoados. Na infração deste dispositivo, será imposta multa e autuação do proprietário.

Com relação ao recolhimento de pneus, foram recolhidas até o momento duas cargas e levadas ao depósito para posterior destinação ao ecoponto. A agente epidemiológica, Sandra Denise Ferle dos Santos, salienta que este recolhimento não é de rotina da equipe da Secretaria de Obras, sendo somente recolhido neste momento por se tratar de um mutirão de limpeza para diminuir o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti no município. Os pneus devem ser encaminhados as borracharias para destinação final.

A Secretaria de Saúde juntamente com a equipe de Vigilancia em Saúde reforçam que estamos em um período de calor e chuva, sendo que o cuidado com a proliferação do mosquito deve ser redobrado. A Agente Epidemiológica, Anelise Appel Schneider, reforça que Santo Ângelo já possui um caso confirmado de dengue e que isto serve de alerta, pois o vírus pode estar em circulação.

Portanto, reforçamos alguns cuidados que a população deve ter para eliminar possíveis criadouros:

A população ajuricabense precisa ficar alerta aos sinais e sintomas das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti e sempre procurar uma unidade de saúde em caso de suspeita. Medicamentos com ácido acetilsalicílico e anti-inflamatório, como diclofenaco de potássio, não devem ser utilizados em caso de suspeita de dengue, pois elevam os riscos de sangramento. A doença já tem aumento de risco de sangramento. Então, esses dois fatores, o medicamento e a dengue, podem aumentar ainda mais o risco de agravamento da doença e, até mesmo, levar à morte.



Enviar por e-mail Imprimir